Córtex Cerebral

Córtex Cerebral

quarta-feira, 29 de junho de 2011

ESTRUTURA E FUNÇÕES DO CÓRTEX CEREBRAL- Parte IV

6.2- Áreas de associação terciárias
v  Segundo Luria:
ü  Ocupam o topo da hierarquia funcional no córtex cerebral.
ü  Não se relacionam isoladamente com nenhuma modalidade sensorial, ou seja são supramodais.
ü  Recebem e integram informações já elaboradas de todas as áreas secundárias.
ü  Responsáveis pela elaboração de diversas estratégias de comportamento.
ü  Compreendem as áreas pré-frontal, área temporoparietal e áreas límbicas.

6.2.1 Área pré-frontal
ü  É a parte anterior não-motora do lobo frontal.
ü  Bastante desenvolvida nos mamíferos
ü  Ocupa ¼ da superfície do córtex cerebral.
ü  Recebe fibras de associação de todas as áreas de associação do córtex e liga-se ao sistema límbico através de fascículos de associação do córtex.
ü  Conexões dessa área com o núcleo dorsomedial do tálamo- especialmente importantes.
ü  Realizações de experimentos em homem e em animais a respeito do significado funcional dessa área levou a acreditar que esta poderia estar relacionada com algum tipo de memória para fatos recentes.
ü  Lobotomia [ leucotomia] pré-frontal: prática operatória realizada por Egas Moniz e Almeida Lima em 1936 que consiste numa secção bilateral da parte anterior dos lobos frontais passando adiante dos cornos anteriores dos ventrículos laterais. Essa técnica era usada em pacientes com depressão, ansiedade e no estado de tampanamento psíquico, ou seja, em pessoas que deixam de reagir a circunstâncias de alegria e de tristeza.vídeo de lobotomia
ü  A lobotomia pré- frontal foi largamente usada na época, mas caiu em desuso devido a conseqüência indesejada dessa técnica: Pacientes perdem a capacidade de discernir sobre que comportamento é adequado para determinada situação. Além disso houve substituição da técnica por surgimento de anti depressivos.
v  Funções da área pré- frontal:
·         Capacidade de escolha ou de alteração de  opções e estratégias comportamentais adequadas a determinada situação.
·         Manutenção da concentração.
·         Capacidade de seguir a uma determinada seqüência ordenada de pensamentos.
·         Controle do comportamento emocional [ função realizada junto como hipocampo e com o sistema límbico]

6.2.2- Área temporoparietal:
Ø  Compreende o lóbulo parietal inferior, ou seja, os giros supramarginais, estendendo-se às margens do sulco parietal superior.
Ø  Funciona como centro que integra informações recebidas das áreas secundárias visual, auditiva e somestésica pois situa-se entre elas.
Ø  “Área do esquema corporal”- é assim chamada devido a permitir ao indivíduo a criação de uma imagem das partes do próprio corpo. Além disso é uma área de percepção espacial, ou seja permite o indivíduo determinar uma relação entre os objetos no espaço extrapessoal.
v  Lesões na área temporoparietal:
·         Desorientação espacial generalizada.
·         Síndrome da negligência ou síndrome da inatenção:
-Se manifesta nas lesões do lado direito do hemisfério cerebral o qual está relacionado com os processos visuo-espaciais;
-Quadro de negligência em relação a parte esquerda do próprio corpo e/ou em relação ao espaço extrapessoal.

6.2.3- Áreas límbicas
ü  Compreendem o giro do cíngulo, o giro para-hipocampal e o hipocampo.
ü  Relacionadas com a memória e o comportamento emocianal.
ü  Intergram o sistema límbico.

7.0- Áreas relacionadas com a linguagem
ü  Compreendem as áreas corticais e não corticais.
ü  As áreas corticais são as mais importantes.
ü  Segundo Geschwind, existe duas áreas corticais para a linguagem: área anterior da linguagem e área posterior da linguagem [ ambas são áreas de associação].
·         Área anterior da linguagem:
-Corresponde a área de Broca;
-Relaciona-se com a expressão da linguagem;
·         Área posterior da linguagem:
-Corresponde a área de Wernicke
-Situa-se na junção entre os lóbulos parietal e o temporal e corresponde a área mais posterior da área 22 do Brodmann.
-Relaciona-se com a percepção da linguagem.
ü  Fascículo longitudinal superior ou fascículo arqueado: serve como “ponte” através da qual as informações da correta expressão da linguagem passam da área de Broca para a área de Wernicke.
v  Lesões nas áreas da linguagem:
·         Causam distúrbios na linguagem -> afasias
·         As afasias são atribuídas a lesão das áreas corticais de associação responsáveis pela linguagem e não são atribuídas a lesões nas vias sensitivas ou motoras da fonação.
Existem 2 tipos de afasia:
·         Afasia motora ou de expressão:
-Lesão da área de Broca
-Compreensão da linguagem falada ou escrita, porém dificuldade de expressão na fala ou na escrita.

·         Afasia sensitiva ou de percepção:
-Lesão da área de Wernicke
-Deficiência na compreensão da linguagem falada ou escrita e na expressão da linguagem.
*Afasia de condução: Lesão no fascículo arqueado que causa a deficiência de expressão porém a compreensão da linguagem é normal. Essa afasia é rara.
OBS: Na maioria dos idivíduos as áreas corticais da linguagem localizam-se no lado esquerdo.

8.0-Assimetria das funções corticais
Ø  Hemisfério cerebral direito não é simétrico ao esquerdo.
Ø  As áreas da linguagem estão localizadas apenas no lado esquerdo, na maioria das pessoas.
Ø  Hemisfério dominante:  Hemisfério esquerdo.
Ø  O hemisfério direito tem papel secundário em relação a linguagem.


Ø  Importância do hemisfério esquerdo: linguagem e raciocínio matemático
Ø  Importância do hemisfério direito: algumas habilidades artísticas, percepção de relações espaciais e reconhecimento de fisionomias pessoais.
Ø  A assimetria funcional dos hemisférios cerebrais somente ocorre nas áreas de associação do córtex, pois as áreas de projeção tanto sensitivas como motoras são iguais.

Curiosidades:
Ø  Em 96% de indivíduos destros o hemisfério dominante é o esquerdo.
Ø  Em 70% de indivíduos canhotos ou ambidestros o hemisfério dominante é o esquerdo.
Logo no canhoto, é mais difícil localizar o lado do centros da linguagem.
Importância clinica:
Um neurocirurgião para saber o lado dos centros da linguagem de um paciente injeta uma droga [ amital sódico] através das carótidas do mesmo e pede para ele contar em voz alta. A droga é levada preferencialmente para o hemisfério de mesmo lado. Se as áreas da linguagem situarem-se no mesmo lado que foi injetado a droga o paciente para de contar pois a mesma causa nelas uma breve disfunção.
ü  A assimetria funcional das áreas da linguagem se deve a região do lobo temporal onde se encontra a área de Wernicke ser maior [na maioria das pessoas] na esquerda do que na direita.
ü  A assimetria funcional das áreas da linguagem confirma a importância do corpo caloso, o qual transmite informações do centros da linguagem entre os hemisférios direito e esquerdo.







Um comentário:

  1. Parabéns, vocês ajudaram minha neta em um trabalho de Anatomia. Obrigada.

    ResponderExcluir